CIDADES ▸ SUPERAÇÃO

Cuiabana abre o próprio negócio e supera depressão vendendo até 1500 litros de suco detox por mês

Se tem uma coisa que a cuiabana Adriana dos Santos Silva, 36, sabe fazer, é se reinventar. Ela, que já foi recepcionista, copeira, vendedora, dona de espetinho e de açaí, se viu desorientada quando não pôde mais sair de casa para trabalhar. Em depressão, ela adquiriu uma enxaqueca crônica, e, quase ‘no fundo do poço’, decidiu investir cem reais na produção de sucos detox para conseguir pagar um aluguel. Hoje, oito meses depois, ela já tem clientela fixa, e chega a vender quase 1500 litros de sucos por semana.

“Eu sempre trabalhei fora, mas sempre no decorrer de um ano, um ano e meio, e por problemas pessoais - meu esposo não gostaria que eu trabalhasse fora - eu acabei querendo abrir um negócio pra mim”, contou Adriana ao Olhar Conceito, em uma entrevista que concedeu em sua casa, no bairro Dr. Fábio II.

Quando não podia mais trabalhar em empresas, ela decidiu investir, primeiro, em um espetinho self-service, em sociedade com a irmã. O negócio durou cerca de um ano, antes de fechar as portas. Novamente sem emprego, Adriana começou a fazer bolos de pote e vender na academia, onde ia para se exercitar. Na mesma época, o filho dela, Thayrik Matheus, havia sido aprovado para estudar agronomia em Campo Verde, e a família precisava de dinheiro para adiantar o aluguel do garoto na nova cidade.

O dono da Academia, na época, percebeu o dom de Adriana e a convidou para alugar a lanchonete do local e vender açaí. “Ele falou, olha Adriana, o valor é esse, se você quiser você pode entrar, e se você ver que não é pra você, você entrega o ponto e tranquilo, foi sem nenhum contrato, sem nada”.

Apesar de ter implantado, além do açaí, alguns sanduíches e sucos, os trinta dias se passaram e Adriana não conseguiu os R$700 para pagar o aluguel do espaço. “Tinha divulgação, tudo, mas ali em frente ao Ginásio Verdinho a passagem pra pedestres é muito pouca. Então eu conseguia vender mais pra quem estava dentro da academia. E com isso foi difícil pra manter o aluguel. Aí eu me vi em apuros, falei o que eu vou fazer?”.

Foi nessa época que a empreendedora decidiu pegar R$100 que tinha, comprar trinta garrafas de 500mL e ir para o Parque das Águas vender os sucos detox. Em pouco tempo, ela conseguiu o dinheiro para pagar o aluguel, e hoje, oito meses depois, já tem um lucro mensal de cerca de R$3200, só com os sucos e sanduíches.

“Porque de manhã eu já fazia o trabalho de visitar os espaços de bronze, pra levar o suco pras pessoas que estavam lá. E com isso uma pessoa me deu a oportunidade de usar o espaço dela, e ai eu fui pedir oportunidade em outros, e aí abriram as portas. Eu passei a ir no Parque das Águas só nos finais de semana, e fui pesquisando os outros espaços que me davam oportunidades. Muitas portas foram fechadas, mas inúmeras outras se abriram”.

Galeria de Fotos

Todos os Direitos reservados a Poconet Notícias.

Comentários