POLÍTICA ▸ DECISÃO

DEM rompe com Taques e terá candidato próprio ao Governo de Mato Grosso

O Democratas definiu na convenção nacional do partido, realizada na manhã desta quinta-feira, em Brasília, a exigência de se ter uma candidatura majoritária nas eleições deste ano, em Mato Grosso. Para a executiva nacional do DEM, a prioridade é uma candidatura ao governo do Estado, dando assim palanque para o pré-candidato à Presidência da República, Rodrigo Maia, atual presidente da Câmara dos Deputados.

O diretório estadual do Democratas em Mato Grosso foi destituído hoje, assim como o de todos os outros estados. De acordo com o deputado estadual e ex-presidente estadual do DEM, Dilmar Dal Bosco, a sigla trabalha com os nomes de Jayme Campos e Mauro Mendes para a vaga na majoritária. A aliança com o PSDB do governador Pedro Taques, ao que tudo indica, também não deve ser renovada.

“É exigência do partido ter uma candidatura majoritária. Eles querem ao governo do estado, mas logicamente que nenhum partido trabalha sozinho. É uma construção. Por exemplo, em Mato Grosso e em nível nacional, somos aliados ao PSDB. Eles também planejam uma candidatura a presidência. Acho que lá na frente é difícil fazer algo diferente do nacional. E nós temos dois nomes, que é o Jayme Campos e o Mauro Mendes”, afirmou, não garantindo uma nova aliança com o governo Pedro Taques para as eleições deste ano.

Caso o partido siga apoios nacionais em âmbito estadual, o DEM poderá ter ao seu lado nas eleições deste ano, em Mato Grosso, aliados como o MDB, PP, PSC, SD, Avante, PHS e PRB. Todas estas siglas enviaram seus presidentes nacionais para o evento de lançamento da pré-candidatura de Rodrigo Maia a Presidência da República.

Com a destituição do diretório, uma nova eleição será realizada nos próximos dias, para definir o comando do Democratas em Mato Grosso. De acordo com Dal Bosco, o partido está unido e até o final da próxima semana já deve ter definido a nova executiva estadual do DEM.

Segundo o parlamentar, a sigla irá aguardar a definição de nomes que podem se filiar. “Em relação a filiações, o Fábio Garcia já está filiado e o Eduardo Botelho, que veio acompanhar, também virá para o DEM. O professor Adriano também confirmou. Agora vamos fazer um evento em Cuiabá. O diretório foi destituído hoje e não sou mais presidente estadual. Agora vamos aguardar quem virá para o partido e montar. Até sexta-feira da próxima semana iremos definir. O partido não tem divisão. Não será complicado”, falou Dilmar.

Dilmar Dal Bosco revelou também que o ministro da Educação Mendonça Filho (DEM) visitará o Estado na próxima semana. O parlamentar afirmou que o Democratas planeja tentar viabilizar o evento de filiação dos novos membros na próxima semana. Estariam presentes, além do ministro, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, juntamente com o presidente nacional do partido, o senador José Agripino Maia.

“O ministro Mendonça confirmou uma agenda para visitar o campus da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) em Várzea Grande no próximo dia 16, mas não é uma viagem política. Vamos tentar aproveitar a presença dele aqui, mas como é uma agenda oficial do ministro, não pode ser confundido com algo político, o que pode adiar a realização do evento”, disse.

O ex-presidente estadual do DEM também comentou a desistência de Adilton Sachetti de se filiar ao partido. O deputado federal que tinha sua filiação já encaminhada, mudou de ideia e rumou ao PRB, após o anúncio do ministro da Agricultura e senador licenciado Blairo Maggi, amigo pessoal Sachetti, de não concorrer a reeleição.

“É uma questão pessoal dele, tendo em vista que entendeu que poderia ter uma dificuldade dentro do DEM em lançar uma candidatura ao Senado, já que o partido trabalha com Jayme e Mauro para a majoritária. Ele escolheu ir para outro partido, buscando essa vacância na questão do Blairo e tentar se colocar como candidato a senador do agronegócio”, afirmou.

Comentários