POLÍTICA ▸ ELEIÇÕES 2018

Jaime diz não ser filho de pai assombrado e dispara: idiota é quem faz política policiando

Para o ex-senador e ex-governador Jayme Campos (DEM), tanto faz ser candidato a senador ou governador. Ele diz estar preparado.

Em conversa com a imprensa na manhã desta segunda-feira, na Assembleia Legislativa, o atual secretário de Projetos Estratégicos de Várzea Grande avisou que pode enfrentar “qualquer um”, entre eles, o próprio governador Pedro Taques (PSDB). “Enfrento todo mundo. Não sou filho de pai assombrado. Qual o problema? Já fui governador. Estou preparado para ser governador, senador, ou não ser nada, apenas participando da campanha. Política se faz com grandeza e com altivez. Sempre fiz isso. Não sou apegado a cargo e fiz isso na eleição passada, saindo de uma candidatura com grandes chances reais de ser eleito”, afirmou sobre a possibilidade de ser candidato neste ano.

Segundo Jayme Campos, fatos novos serão apontados até julho deste ano, prazo para a realização das convenções partidárias. “Temos que aguardar e ser tolerantes. A arte da política é com o diálogo. É isso que estamos fazendo, organizando o time e estruturando partidariamente. Temos que ver quem será candidato”, disse.

O ex-governador também afirmou que tem conversado com diversas siglas e vários nomes e que não descarta nenhuma aliança, seja com o grupo da atual gestão do Governo do Estado, ou até mesmo com a oposição, que pode ter o senador Wellington Fagundes (PR) como candidato a governador. “Vamos aguardar. Estou conversando com todo mundo. Ninguém me impede de conversar com alguém. Converso com Carlos Fávaro, Nilson Leitão, Wellington Fagundes, Pedro Taques, Carlos Bezerra. Isso faz parte da democracia. Idiota é quem quer fazer política policiando, dizendo que não pode conversar com um ou outro ”, pontuou.

Jayme Campos, embora deixe claro que quer ser candidato, afirmou que irá esperar as definições de outros partidos e possíveis alianças que o Democratas poderá fazer para as eleições deste ano. Ele inclusive aponta que lidera pesquisas feitas. “Não lanço candidatura em meu nome. Faço candidatura com o povo. Faço política em grupo. Vou buscar respaldo não só no meu partido, mas também em outros que possamos vir a coligar, caso contrário, não me interessa. Não faço política de forma isolada. Tanto é verdade que em todas as pesquisas, estou bombando tanto para governador e para senador, e isso sem grandes articulações. Isso é porque eu faço política com o povo”, disse.

O ex-senador negou que já esteja em campanha antecipada, mas afirmou que tem participado de compromissos sociais e conversado com populares e “fazendo política”. Ele, inclusive, criticou outros políticos, que segundo ele, “estão na piscina”. “Esse fim de semana eu conversei com mais de três mil pessoas na região metropolitana. Só no sábado eu fui em quatro aniversários. Em um deles, no Sucuri, tinham mais de 600 pessoas e Jayme Campos estava lá. Uns estão na piscina, tomando banho, e eu estava lá com o povo, conversando e ouvindo. Estava lá no aniversário, no casamento, no batizado. Isso é política. Enquanto alguns bacanas fazem política de cúpula, eu vou lá na base”, completou.

Comentários