POLÍTICA ▸ CPI GOVERNISTA

Partido dos Trabalhadores denuncia conluio para investigação n AL acabar em pizza

Por meio de uma resolução política, a diretoria do Partido dos Trabalhadores (PT) proibiu que seus representantes na Assembleia Legislativa de Mato Grosso façam parte da CPI dos Fundos instaurada com apoio de 15 parlamentares para investigar o governador Pedro Taques (PSDB). Na prática, a medida visa probir o deputado Allan Kardec de aceitar o cargo de membro titular na CPI que foi atribuído a ele pelo presidente da Casa, Eduardo Botelho (PSB).

O 2º representante do PT no Legislativo Estadual é Valdir Barranco, que é também presidente do partido em Mato Grosso e responsável pela resolução juntamente com os demais integrantes da diretoria da sigla petista. Ao tomar tal decisão e convocar coletiva para explicar a decisão partidária, Barranco disse que a CPI não passa de um "grande conluio" para que o Legislativo passe a mão na cabeça do Executivo e permita que denúncias contra Taques classificadas por ele como "gravíssimas" acabem em pizza.

Por outro lado, Allan kardec tem interesse de continuar como membro da CPI e deve buscar apoio dos demais parlamentares que integram o grupo de oposição na Casa. Ele não participou da coletiva de imprensa na qual estavam o presidente Valdir Barranco, o deputado federal Ságuas Moraes e outras lideranças do partido.

Ao Gazeta Digital, Kardec afirmou que é preciso ter uma investigação séria acerca da denúncia feita pelo presidente da Associação Matogrossense dos Municípios (AMM), Neurlian Fraga (PSD) de que teria ocorrido desvio de finalidade na aplicação dos recursos do Fundo Estadual de Transporte e Habitação (Fethab) e do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb).

Segundo a Executiva estadual da legenda, a investigação “nasceu viciada e com o objetivo de inocentar o investigado”. O motivo, na avaliação dos integrantes do PT, é que dos 5 membros titulares da CPI dos Fundos, 4 são da base governista.

Eles acreditam que os deputados vão inocentar o governador, mas eu não me incluo nisso. Vou fazer um relatório separado e vou mostrar para sociedade aquilo que eu conseguir. Sair é abdicar da luta, não da para entregar assim sem nem lutar”, disse Kardec.

A CPI será presidida por Mauro Savi tendo como relator o deputado Ondanir Bortolini, o Nininho (PSD). Na vice-presidência ficou Adriano Silva, o Professor Adriano (PSB) enquanto Allan Kardec (PT) será o subrelator. O 5º membro titular da CPI, que entrou no lugar de Leonardo é o tucano Guilherme Maluf. Como membros suplentes ficaram Dilmar Dal Bosco (DEM), Janaina Riva (MDB), Romoaldo Júnior (MDB) e Wagner Ramos (PSD).

Comentários