ESPORTES ▸ NEGOCIAÇÃO

Troca de cartas e de acusações: o imbróglio entre Flu, Sport e SPFC no caso Diego Souza

O São Paulo terá que depositar em juízo os R$ 5 milhões ainda não pagos ao Sport pela compra de Diego Souza. Trata-se de uma decisão da Justiça após um pedido de liminar do Fluminense, que defende ter direito a 50% do valor da transferência, totalizada em R$ 10 milhões.

O clube pernambucano argumenta que o tricolor carioca tem direito a apenas R$ 1 milhão. Para isso, se baseia em um e-mail de Marcelo Teixeira, atual diretor da base do Flu, autorizando “em nome do presidente”, que Eduardo Uram, empresário do jogador, negociasse com o Sport "a parte relativa ao Fluminense em uma eventual negociação do atacante por tal valor".

O GloboEsporte.com teve acesso a uma troca de cartas em que o Flu admite a existência do e-mail, mas o considera sem valor, enquanto Sport e São Paulo respondem acusando o clube das Laranjeiras de usar "artimanhas jurídicas e narrativas fantasiosas para ter benefício maior do que aquele que aceitou".

Com base nessas e outras informações, montamos uma cronologia para que você entenda melhor o caso:

22 de março de 2016 - Fluminense acertou a venda de Diego Souza ao Sport por 300 mil euros. Em contrapartida, ficou acordado que o Tricolor ficaria com 50% dos direitos econômicos do jogador, visando uma futura transferência. O documento diz que o contrato "permanecerá em vigor enquanto o atleta permanecer vinculado desportivamente ao Sport".

Comentários