POLÍCIA ▸ INVESTIGAÇÃO

Após vídeo de morte de três onças, Polícia Civil apura se caso ocorreu em MT

A Polícia Judiciária Civil apura se o vídeo em que três onças aparecem mortas, em uma caminhonete, foi registrado no município de Cocalinho (a 860 quilômetros de Cuiabá). As imagens começaram a circular nos últimos dias nas redes sociais, inclusive foram compartilhadas pelo Instituto Onça Pintada. Conforme as publicações, a situação teria acontecido nas proximidades do Rio das Mortes. No vídeo, um homem é chamado de matador de onças.

O delegado responsável pela Delegacia de Colinho, Valmon Pereira da Silva, determinou a realização de diligências com o fim de apurar a veracidade do vídeo e se o caso realmente ocorreu no município.

De acordo com a Polícia Civil, até o momento, não houve registro de ocorrência de crime ambiental contra fauna na unidade, porém, as primeiras providências para apuração dos fatos estão sendo tomadas.  

Procurada, a Polícia Militar informou que nenhum comandante da corporação confirmou o atendimento da ocorrência. A Secretaria de Estado do Meio Ambiente (Sema) informou que o caso foi repassado à Delegacia de Meio Ambiente (Dema), mas que também está sendo apurado pela Pasta.

Matar qualquer animal silvestre é crime ambiental, com pena de seis meses a um ano de detenção, conforme artigo 29 da Lei nº 9.605 de 12 de Fevereiro de 1998. A pena é a aumentada pela metade caso o crime tenha sido praticado com emprego de métodos ou instrumentos capazes de provocar destruição em massa.

Conforme o vídeo, as onças são dois filhotes e a mãe. O homem, que supostamente matou os felinos, diz que os animais estavam em uma árvore. Depois de mortas, elas foram colocadas em uma caminhonete ao lado de dois cachorros. 

Comentários