POLÍCIA ▸ EXECUÇÃO

Assassinato de PM da reserva seria por motivo familiar; filho teria morrido por queima de arquivo

A Polícia Judiciária Civil prendeu na tarde desta segunda-feira (21) um homem suspeito de executar um policial aposentado, Noel Marques da Silva, de 53 anos, e o filho da vítima, Noel Marques da Silva Júnior, meses depois. O primeiro crime ocorreu em agosto de 2020, no bairro Jardim Colorado, em Cuiabá, ocasião em que o policial foi assassinado a tiros no momento em que chegava em casa. O segundo crime aconteceu em março de 2021,  próximo a cervejaria Ambev, em Cuiabá.

O suspeito foi encontrado em uma residência em Várzea Grande, no bairro Capão Grande, e encaminhado para a Delegacia Especializada de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) onde deve ser interrogado pelos policiais. Até o momento não há informações sobre a identidade do homem. Ao chergar no local, ele negou a autoria dos crimes.

Segundo o delegado responsável pelo caso, Caio Albuquerque, a principal linha de investigação seria a de que o crime seria causado por motivo familiar, e que o filho do PM teria sido assassinado por queima de arquivo. "Tem essa linha, desse fato de um possível problema familiar que teria descambado para esse fato. O segundo [assassinato] também nos leva a uma conclusão de queima de arquivo para com a morte do pai, porque o filho sempre vinha aqui pedindo esclarecimentos. Essa hipótese é a que tem mais elementos", afirmou o delegado.

Ainda de acordo com o delegado, a Polícia estava há tempos em busca do suspeito, mas ele é 'frio e muito esperto', e mudou várias vezes de residência. "Há tempos estávamos atrás dele. É um rapaz bastante frio, esperto, e ele estava fugindo, mudando de residência, isso no intuito de dificultar a localização dele. Mas graças a um trabalho constante de todo dia, em campanas, conseguimos localizá-lo na região do Capão Grande, em Várzea Grande, em uma residência onde ele estava com sua esposa", explicou. 

O suspeito será interrogado e o delegado irá representar por sua prisão preventiva. A expectativa é de que ele entregue quem foi o mandante do crime. As acusações sobre ele serão de homicídio qualificado por motivo torpe e com recurso que dificultou a defesa da vítima.

Relembre os casos
O militar aposentado  Noel Marques da Silvafoi surpreendido pelo atirador no momento em que desceu de seu carro para abrir o portão de sua casa. O militar da reserva que atuava no 4° Batalhão foi atingido por dois tiros em sua cabeça e no pescoço. O crime de tentativa de latrocínio (roubo seguido de morte) foi a princípio descartado pela polícia. O corpo do ex-policial foi encaminhado para o Instituto Médico Legal (IML).

Comentários