CIDADES ▸ ALIVIO

Chuvas são registradas em cinco cidades no nortão do estado de Mato Grosso

Para os mato-grossenses de Alta Floresta, Paranaíta, Nova Bandeirantes, Guarantã do Norte e Lucas do Rio Verde a chuva chegou na quarta-feira (18) após longos períodos de estiagem, muito calor, seca e umidade relativa do ar em níveis críticos.

Em Guarantã do Norte, a chuva caiu durante boa parte da manhã e parou por volta das 12h. Mas para a felicidade dos moradores da cidade, durante a tarde a chuva voltou e ajudou a dar uma refrescada no calor e na fumaça, que mesmo assim mantém temperaturas muito elevadas, mas, pelo menos, ajudou a deixar o ar da cidade menos seco.

Já em Alta Floresta, de acordo com a Prefeitura, a chuva caiu por mais ou menos meia hora e no momento ainda ventava bastante, mas não houve nenhum registro de acidentes ou estragos na cidade.

A Prefeitura de Alta Floresta ainda confirmou que os municípios vizinhos, Paranaíta e Nova Bandeirantes, também tiveram registros de chuvas durante a quarta-feira.

Lucas do Rio Verde, após 100 dias de seca, também recebeu chuva durante a tarde de quarta. Os luquenses que estavam pelo Centro da cidade viram os pingos caindo por mais de meia hora e comemoraram nas redes sociais alívio que veio do céu.

Para os próximos dias, segundo previsão do site Climatempo, as temperaturas continuam muito altas. Para Alta Floresta, Paranaíta, Guarantã do Norte e Lucas do Rio Verde os termômetros devem apontar mínima de 21 graus e a máxima entre as cidades varia muito pouco, entre 39 e 41 graus.

Apenas Nova Bandeirantes deve registrar máxima na casa dos 36 graus.

Ainda, de acordo com o Climatempo, as chuvas devem continuar a cair nessas cidades nos próximos dias. A previsão é 80 a 90% de chance.

Para a Capital, os meteorologistas apontam mínima de 25 graus e máxima 40 graus, além disso, é apontado 90% de chance de chuvas isoladas no fim de semana. 

Uma meteorologista do Inpe explicou ao  que a previsão de chuva para Cuiabá é correta, já que existe uma corrente de umidade que vêm da Amazônia em direção à Capital, que bate de frente com a atmosfera quente formando um aumento de nuvens favoráveis à chuva. Mas que, devido aos ventos que espalham essas nuvens, a chuva não cai e pode estar sendo levada para outros municípios.

Comentários