CIDADES ▸ MEDIDAS

Com mais de 80% das UTIs ocupadas, Cuiabá e VG podem entrar em lockdown

A Secretaria de Estado de Saúde (SES-MT) notificou, até a tarde desta sexta-feira (26), 249.969 casos confirmados da Covid-19 em Mato Grosso, sendo registrados 5.769 óbitos em decorrência do coronavírus no Estado, com 22 mortes apenas nas últimas 24 horas.

A taxa de ocupação em leitos de UTI pediátricas no Estado chegou a 100%, isto porque dos 15 leitos, 12 estão bloqueados. Em oito hospitais públicos a taxa de ocupação nas UTIs para adultos também é de 100%.

Conforme o boletim, foram notificadas 1.525 novas confirmações de casos de coronavírus no Estado. Dos 249.969 casos confirmados da Covid-19 em Mato Grosso, 8.949 estão em isolamento domiciliar e 233.977 estão recuperados.

Entre casos confirmados, suspeitos e descartados para a Covid-19, há 380 internações em UTIs públicas e 358 em enfermarias públicas. Isto é, a taxa de ocupação está em 83,70% para UTIs adulto e em 41% para enfermarias adulto.
Nos hospitais Santa Casa se Rondonópolis, Hospital Regional de Sorriso, Hospital Regional de Água Boa, Hospital Regional Irmã Elza Giovanella (Rondonópolis), Hospital Municipal de Juína Dr Hideo Sakuno e Hospital e Pronto Socorro Municipal Milton Pessoa Morbeck (Barra do Garças) a taxa de ocupação de UTIs é de 100%. No Hospital e Maternidade São Lucas a taxa é de 110%.

Dentre os dez municípios com maior número de casos de Covid-19 estão: Cuiabá (53.595), Rondonópolis (19.178), Várzea Grande (15.863), Sinop (12.878), Sorriso (10.301), Tangará da Serra (9.973), Lucas do Rio Verde (9.317), Primavera do Leste (7.392), Cáceres (5.545) e Nova Mutum (5.063).

Com o crescente número de casos, a 7ª Promotoria de Justiça Cível de Cuiabá requereu ao Poder Judiciário nesta sexta-feira (26), que aos Municípios de Cuiabá e Várzea Grande adotem no prazo de 24 horas medidas sanitárias mais restritivas por 14 dias, em conformidade com o Decreto Estadual Nº 522/2020.

O pedido foi encaminhado à 1ª Vara de Fazenda Pública de Várzea Grande - Especializada de Saúde, após os municípios serem classificados como de “risco alto”.

Apesar do prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB), informar que descarta decretar um novo lockdown na Capital, o gestor deverá ceder à decisão.

Comentários