POLÍTICA ▸ ELEIÇÕES 2020

Deputado Lúdio Cabral conquista apoio dos servidores públicos para o Senado Federal

O deputado estadual Lúdio Cabral (PT) saiu derrotado do aumento da alíquota previdenciária dos servidores, mas conquistou o apoio da classe para uma possível candidatura ao Senado. Nas redes sociais, os servidores fazem uma corrente para que o político dispute a cadeira deixada pela ex-senadora cassada Selma Arruda (PSL).

Sem um nome forte para representar os servidores na Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT), Lúdio ganhou popularidade e, caso seja candidato, promete utiliza-la em campanha eleitoral.

O cenário político é favorável para o petista. Parlamentares como Wilson Santos (PSDB) e Elizeu Nascimento (DC), conhecidos pela defesa dos direitos da classe, viraram as costas e ajudaram a aprovar o aumento da alíquota previdenciária de 11% para 14%. De atestado médico, Janaína Riva (MDB) não pode estar ao lado ser servidores em votação.

Os servidores lançaram, desde o último domingo (12), a hashtag (palavra-chave) #QueroLudioSenador nas redes sociais. A professora Edna Sampaio, uma das principais lideranças o partido no estado e membro do Fórum Sindical, endossou o coro no Facebook e publicou que Lúdio é “o melhor nome e com mais chances para o Senado”.

Leia também: Lúdio Cabral ao Senado pode ser virada de mesa do PT em Mato Grosso

Apesar de ter descartado uma candidatura para 2020, tanto para senador quanto à prefeitura de Cuiabá, o parlamentar confirmou que o PT terá candidatura para a eleição suplementar. Além de Lúdio, a sigla possui outro nome de peso: Carlos Abicalil (PT), que já foi deputado federal e Secretário de Educação Especial no Ministério da Educação (MEC), durante o governo da petista Dilma Rousseff.

O diretório nacional do partido, liderado pela deputada federal Gleisi Hoffmann (PT-PR), bem como o ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva, já sinalizaram positivamente para que o presidente estadual da sigla, o deputado estadual Valdir Barranco, defina uma candidatura.

Mais de 16 políticos já demonstraram interesse na eleição suplementar ao Senado. Entretanto, grande parte dos pré-candidatos são de direita, o que pode aumentar as chances do PT no estado. 

Comentários