CIDADES ▸ AUMENTO

Desembargador suspende decreto que aumenta IPTU de Chapada em até 700%

O desembargador Márcio Vidal, do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT), suspendeu de forma imediata a eficácia do Decreto n. 148/2021, que aumentou o custo do IPTU em Chapada dos Guimarães (a 70 km de Cuiabá).

A decisão, assinada na segunda-feira (17), atende recurso movido pela Associação Comunitária do Bairro Adolfo Koberstain, que teve o pedido liminar indeferido pela 2ª Vara Cível de Chapada dos Guimarães. 

À Justiça, a Associação destacou que o aumento do valor do imposto não pode ser feito por decreto, pois depende de lei específica, conforme a Constituição Federal e o Código Tributário do Município.

Analisando o caso, o desembargador reconheceu o argumento da associação, destacando que, por não cumprir com o que manda a Constituição, o decreto deve ser suspenso.

Ele determinou que o juízo de Chapada dos Guimarães e o município fossem comunicados sobre a decisão com urgência. A Prefeitura poderá recorrer.

Confira a íntegra do decreto aqui.

Entenda

 

O prefeito de Chapada dos Guimarães, Osmar Froner (MDB), enviou projeto de lei à Câmara de Vereadores em busca do reajuste do IPTU. Segundo ele, a taxa sobre a Planta Genérica de Valores da cidade está defasada.

A sessão para votar o PL, sob pedido de urgência urgentíssima, aconteceria no dia 29 de dezembro. No entanto, os vereadores Luciano Augusto Neves (PSB) e Jonas Adriano Voos (DEM) entraram com mandado de segurança para suspendê-la, alegando que votar o projeto em regime de urgência, com redução de prazos, violaria o Regimento Interno do legislativo municipal.

Comentários