POLÍTICA ▸ ELEIÇÕES 2022

MDB deve liberar lideranças para apoiar outros candidatos ao Senado e governo em Mato Grosso

Com a bancada estadual e federal fechada com o governador Mauro Mendes (União) para a disputa da reeleição em outubro, o MDB liberará militantes que não queiram seguir com o governo ou o candidato ao Senado, Neri Geller (PP), para apoiar outras candidaturas.   

Segundo Francisco Faiad, que compõe a cúpula estadual da legenda, a liberação é o caminho natural, já que existem manifestações contrárias ao que está sendo encaminhado.  

"Eu estou entendendo que haverá uma liberação no sentido de que certos militantes possam apoiar candidaturas até diferentes daquela que o partido escolher. Nós temos uma situação, por exemplo, hoje, de que o MDB, na sua maioria, está na candidatura de Neri para o Senado. Mas nós temos, por exemplo, deputada Janaína que apoia o Wellington Fagundes (PL) ao Senado. O próprio presidente Bezerra já disse que vai haver uma liberação nesse sentido. Então, eu acredito que possa haver também a liberação para que alguns componentes do partido apoiem candidaturas diversas", explicou.  

No entanto, Faiad acredita que a oficialização dos apoios majoritários só ocorrerão durante as convenções partidárias, que ocorrerá entre julho e início de agosto. 

A liberação é a forma que a legenda encontrará para evitar uma crise interna, já que o prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB), defende a saída da sigla da base do seu adversário, Mauro Mendes. Já a deputada Janaina Riva, quer o partido no apoio à candidatura do seu sogro, senador Wellington Fagundes, e não com Neri Geller.  

Proporcionais  

Faiad também afirma que o foco do MDB será aumentar as suas bancadas estadual e federal, com a meta de eleger 3 federais e 6 estaduais.  

"Nossa preocupação nesse momento é montagem da chapa forte porque cada partido vai ter que se virar por si mesmo. E nós trouxemos Emanuelzinho para o MDB, nós já tínhamos dois federais com praticamente o terceiro que era o deputado Valtenir, que assumia constantemente a Câmara Federal. Agora temos mais um que é o Emanuelzinho. Então nós estamos firmemente nesta nesta luta de formar uma chapa forte com nomes fortes, com viabilidade eleitoral grande pra elegermos três federais e 6 estaduais. Essa é a meta".

Comentários