POLÍTICA ▸ ELEIÇÕES 2020

PSDB nacional exige candidatura nas eleições da cidade de Cuiabá

Seguindo orientação da Executiva nacional, o PSDB (Partido da Social Democracia Brasileira) deve lançar candidato a prefeito em Cuiabá para as eleições em 2020 e o nome escolhido deve ser o do empresário do setor hoteleiro Luiz Carlos Nigro. Nos bastidores também se comenta a ppssibilidade do ex-governador Pedro Taques (PSDB) encarar a disputa pelo Alencastro.

Embora exista uma corrente dentro do partido que defende o apoio a uma eventual candidatura à reeleição do prefeito Emanuel Pinheiro (MDB), a recomendação é que o partido tenha candidatura própria na Capital. “A tendência é que o PSDB tenha candidatura própria e temos nomes. Luiz Carlos Nigro, um empresário bem sucedido, de família tradicional. Primo do ex-governador Dante de Oliveira, ele tem experiência na área privada, é bem sucedido na área hoteleira, e experiência na área pública”, disse o deputado Wilson Santos, da executiva estadual do PSDB.

Nigro ocupou na gestão Taques o cargo de secretário-adjunto de Turismo e é líder do trade turístico no Estado. Nas últimas eleições, em 2018, ele foi o 1º suplente do candidato ao Senado Nilson Leitão (PSDB). “O PSDB tem hoje 755 prefeitos e quer aumentar essa quantia. Nós queremos voltar a disputar eleições nos grandes municípios e, principalmente, nas capitais”, disse Wilson Santos, em entrevista ao Programa Resumo do Dia, na TV Brasil Oeste.

Ele contou que na semana passada participou de um encontro em Brasília com a direção nacional do partido e relatou que a tendência é que haja uma decisão nesse sentido. Na Câmara de Cuiabá, os vereadores tucanos Renivaldo Nascimento e Adevair Cabral defendem o apoio ao prefeito Emanuel Pinheiro.

Já o presidente municipal do PSDB de Cuiabá, vereador Ricardo Saad, defende a candidatura de Luiz Carlos Nigro. “É claro que por ser um partido democrático, há correntes que defendem a candidatura própria e há correntes que defendem outro caminho, mas o importante é que o partido está começando a definir o que é que o partido quer”, observou Wilson Santos.

Comentários