POLÍCIA ▸ MISTÉRIO

Viatura com pedreiro desaparecido ficou três minutos em local escuro na beira de rio e açudes

Dados de geolocalização da viatura da Polícia Militar em que o pedreiro Rubson Farias dos Santos, de 28 anos, teria sido levado no fim de janeiro deste ano, em Cáceres (a 220 quilômetros de Cuiabá), mostram que o camburão ficou três minutos em um local ermo da cidade, que é bastante escuro e fica próximo da beira de um rio e de açudes. Seis PMs envolvidos no caso foram indiciados.

Em depoimento, o enteado da vítima disse que no dia do episódio se deparou com policiais militares do GAP destratando e batendo em seu padrasto, sendo que um desses PMs ordenou que ele saísse do local.
 
Uma mulher, que estava passando pelo local de motocicleta com o marido e parou para observar a situação, disse que viu os policiais militares saírem na viatura, mas não chegou a ouvir gritos ou pedidos de socorro.
 
Ao todo, cinco pessoas afirmaram – em depoimento - ter ouvido o pedreiro gritando por socorro, sendo que uma delas confirma ter escutado barulhos parecidos com pancadas e agressões. 
 
A viatura, segundo relatório, permaneceu parada/desligada das 23h06 às 00h13, na avenida 7 de setembro, no Centro de Cáceres. Tendo deslocado-se após isso pelas vias da cidade, parando novamente às 00h42, na rua Joaquim Murtinho. Das 00h54 às 01h29, o veículo permaneceu na Radial Um.
 
De 01h40 às 02h06, a viatura esteve estática na avenida 7 de Setembro. Tendo parado novamente na avenida Pedrino Alexandrino Lacerda (que é uma estrada não-pavimentada e um local bastante escuro à noite), das 02h16 às 02h18, retornando para a primeira via às 02h33 e ficando lá até ás 02h45.
 
Ao realizar a checagem das coordenadas do endereço onde a viatura permaneceu desligada/parada por aproximadamente três minutos (avenida Pedrino Alexandrino Lacerda), através do site Google Maps, pode-se verificar que é uma área rural (região de sitiantes), que possui lagoas/açudes e o rio Paraguai nas proximidades.
 
Indiciamento

Seis policiais militares  foram indiciados no Inquérito Policial Militar (IPM). São eles: 2º tenente André Filipe Batista da Silva e os soldados Jeferson da Silva Leal, Eliézio Francisco Ferreira dos Santos, Rodrigo da Silva Brandão, João Eduardo da Silva e Kristian Batista Maia. 

O pedreiro Rubson foi levado inconsciente por policiais militares, na sexta de 29 de janeiro. Segundo familiares e vizinhos, a casa da vítima foi invadida pelos agentes que agrediram o pedreiro até deixá-lo sem consciência, quando foi levado.

Rubson não foi levado para uma delegacia para registro de boletim de ocorrência, nem para uma unidade de saúde. Diante disso, a família passou a buscar informações.

Comentários